Pesquisar
Close this search box.

Fiema Brasil encerra evidenciando sua relevância para a cadeia ambiental

Maior feira ambiental do sul do país já agendou a realização de sua 10ª edição para 2025

 Fiema Brasil terá 10ª edição de 20 a 22 de maio de 2025. Imagem: Augusto Tomasi

A Fiema Brasil se encerrou nesta quinta-feira (11), após três dias promovendo negócios, networking, conhecimento e tecnologia, anunciando um novo compromisso: sua 10ª edição, marcada para os dias 20, 21 e 22 de maio de 2025.

A projeção da futura feira vem embasada no sucesso dos resultados desta edição, que foi visitada por cerca de 9 mil pessoas. A Fiema 2023 foi a edição da retomada. A maior feira ambiental do sul do país reapareceu após cinco anos, em razão das exceções provocadas pela pandemia, cumprindo toda expectativa que o tempo de espera lhe impôs.

“Chegamos ao fim da Fiema superando as nossas expectativas, tanto na questão de visitantes quanto de programação. Foi uma feira eclética, com seminários, palestra, expositores, Arena de Startups, uma edição muito focada em tecnologia, o que agradou a público e expositores. Renovamos o convite para que todos estejam conosco em 2025”, disse o presidente da 9ª Fiema Brasil, Jonas Brevia.

No Parque de Eventos, em Bento Gonçalves, foram retomadas conexões entre soluções e empresas, entre feira e cadeia ambiental. Nos corredores, cerca de 100 empresas mostraram as mais diversas soluções em gestão de resíduos, tratamento de efluentes, produção de energia solar e softwares para as mais diversificadas necessidades. Os resultados disso tudo foram negócios.

Pela segunda vez participando da feira, a Zeo Solutions comemorava os contatos estabelecidos na Fiema. “Até hoje fechamos negócios da nossa primeira participação, foi muito boa a feira em 2018, quando lançamos nossa marca. E essa está melhor ainda. Estamos aqui para prospectar e para networking”, disse o fundador da empresa de Caxias do Sul, Diego Fernando Schneider.

Uma parte do estímulo a esses negócios foi impulsionada por uma inédita iniciativa da Fiema. Pela primeira vez, a feira foi palco da promoção de uma sessão de negócios organizada pelo Sebrae. A proposta reuniu cerca de 80 empresas que apresentaram a 11 âncoras, em espécie de pitches, seus produtos e serviços. Cada uma delas tinha cerca de um minuto para isso, e depois faziam o mesmo processo até passar por todas as âncoras.

Essas movimentações adicionaram à feira um novo ambiente de negócios, que passaram a ser realizados, também, em um novo mundo. Assim, a primeira Fiema pós-pandemia chegou para dialogar com esses novos tempos. E eles pedem novas soluções. A Arena de Startups, atração até então inédita na feira promovida em parceria com o SebraeX, foi um dos espaços mais disputados no Parque de Eventos, em Bento Gonçalves, com suas 55 startups apresentando conexão com as necessidades das empresas.

O universo foi vasto, desde inciativas voltadas à extração de proteína de insetos para nutrição animal, passando por gestão de rede social e soluções de IoT para a indústria 4.0. “O que o SebraeX previa não se concretizou, foi melhor”, brincou o head de startups do Sebrae RS, Alcir Cardoso Meyer. “Estamos muito satisfeitos com o resultado, o movimento foi acima do esperado, e a ampla maioria das startups está bastante satisfeita com o nível do público que veio aqui, que são de empresários e de CEOs”, continuou.

Embora os números dos fundos de investimentos não tenham sido contabilizados, pelo menos três deles, monitorados pelo SebraeX, passaram pela feira, com cerca de R$ 1,8 milhão para investir, e estabeleceram conversas com startups. Além disso, a programação contou com o desafio “like a boss”. A competição reuniu 24 startups apresentando seus cases a uma banca de avaliadores. Três delas foram destaques – chAPPa Brasil (1º lugar, que recebeu R$ 5 mil), Inovapictor (2º lugar) e Igapó (3º lugar) – e garantiram presença na final gaúcha, que acontecerá na Gramado Summit de 2024.

O evento ainda entregou uma programação de conteúdo com mais de 30 palestras e painéis. No último dia, por exemplo, estiveram no palco nomes como Daniel Ely, da Randoncorp, e o coautor do best-seller “Gestão do Amanhã”, Sandro Magaldi. “A programação da arena foi de alto nível, prova disso foi que a arquibancada esteve sempre lotada”, disse Meyer.

As novidades também rondaram o tradicional FiemaCon, espaço de conhecimento da feira, com a realização de congresso e seminários. Neste ano, duas atrações inéditas foram agregadas à programação, o 1º Seminário de Construções Sustentáveis e o 1º Simpósio Gaúcho de Recuperação Energética de Resíduos Sólidos Urbanos. Esse último rendeu um dos grandes legados da nona edição do evento. A Proamb e a Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren) apresentaram um plano de gestão de resíduos ao governo do Estado capaz de reduzir em 80% a emissão de gases de efeito estufa no Rio Grande do Sul.

O FiemaCon ainda trouxe modernos conceitos, práticas e visões acerca de gestão, tecnologia em meio ambiente, gestão em agropecuária, segurança do trabalho e energias renováveis. Diante de tanto conhecimento e negócios, a torcida dos expositores e do público nos corredores da Fiema era uma só: que nenhum advento extraordinário impedisse um novo encontro para 2025.

Compartihe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Pinterest
portrait-of-handsome-male-builder-laughing-infront-Q8N7DXV.jpg
Join our newsletter and get 20% discount
Promotion nulla vitae elit libero a pharetra augue